Arquivo da categoria: Equipamentos

Quais Equipamentos para CrossFit Eu Devo Comprar?

Assine nossa newsletter para receber o vídeo 8 exercícios para melhorar o snatch

Existem muitos equipamentos disponíveis para a prática do CrossFit, cintos, munhequeiras, joelheiras, tênis, sapatilha. Mas quais um iniciante realmente deve comprar.
Existem acessórios que podem prejudicar um atleta mais do que ajudar.
Veja uma regra geral para te ajudar nas decisões de o que comprar.


Curta nossa Fan Page no Facebook para continuar acompanhando nossas postagens:

facebook_like_button

Anúncios

Aprenda a Técnica do Remo Indoor Concept2

Assine nossa newsletter para receber o vídeo 8 exercícios para melhorar o snatch


Curta nossa Fan Page no Facebook para continuar acompanhando nossas postagens:

facebook_like_button

Tênis de alta tecnologia são para pés de baixa tecnologia.

A guerra dos tênis no CrossFit é acirrada, as duas principais competidoras, Nike e Reebok, lançam updates de seus tênis pelo menos uma vez por ano, além de diversos modelos para complementar a prática do esporte, como tênis direcionados a corrida, levantamento de peso e outras modalidades, sem falar nos calçados direcionados a um determinado tipo de pisada. Mas será que essa variedade é realmente importante? É necessário haver lançamentos todos os anos? Ou o especialista em movimento Ido Portal está certo ao dizer que: os tênis modernos são para pés disfuncionais.
Mãos já foram pés

Para um ser humano vivendo no ocidente, onde o contato das mãos com o solo é quase inexistente é difícil pensar que nossas mãos tem a mesma origem evolutiva que as patas dianteiras de muitos mamíferos e portanto compartilham alguns mecanismos básicos de funcionamento. Agora pense em uma mão saudável, ela tem uma vasta amplitude de movimento  tanto no punho quanto na movimentação dos dedos e uma força de pegada considerável.

Agora pense no seu pé, será que ele tem os mesmos atributos? Uma amplitude de movimentos considerável tanto no tornozelo quanto na sola e nos dedos? Ele tem capacidade de agarrar objetos por mais leves que sejam mostrando independência entre os dedos? E o calçado que você utiliza, ele colabora para que você execute esse tipo de movimento ou ele restringe a atuação dos músculos do seu pé?

Os mitos da industria

Mesmo bloqueando as funções de um pé funcional, a industria se apoia em dois grandes argumentos que ainda são comum na mente da população: Absorção de impacto e correção de pisada.

Sobre o impacto de saltos e corrida, primeiramente é importante salientar que o que faz o veneno é a dose, o impacto não é algo necessariamente ruim ao corpo humano. Um volume razoável de impactos moderado pode aumentar a densidade óssea por exemplo, mas mesmo se choques fosse absolutamente maléficos para o corpo humano, não há consenso que correr com, tenis com amortecimento cause menos impacto que correr descalço. [1]

O mesmo vale para a correção de pisada. A prescrição de calçados para diferentes tipos de pisada não é baseada em literatura cientifica.[2] Além do que, a raiz dos problemas de pisada podem se originar em uma série de desequilíbrios musculares na região do quadril e abdômen.

O que isso significa?

Não é necessário abolir calçados do seu cotidiano, mas dar preferência àqueles que permitem uma maior movimentação dos pés é fundamental, principalmente ao praticar exercícios físicos, nesses momentos geralmente estar descalço é uma das melhores opções.

Além disso é importante estar atento ao condicionamento dos pés, palmilhas e tênis especiais não podem ser soluções a longo prazo, esses recursos não dão autonomia nem resolvem a raiz do problema. Do mesmo jeito é importante encarar sapatilhas de levantamento com um acessório para um esporte especifico, assim como não dá para jogar golf sem tacos, sapatilhas são ferramentas fundamentais para o LPO, mas não conseguir agachar sem elas demonstra um grande buraco no condicionamento físico de um atleta.

 

[1]  A.Yan,C. Hiller, P. Sinclair, R Smith – Shock attenuation in shoes compared to barefoot: a systematic review

[2]  Richards CE, Magin PJ, Callister R. – Is your prescription of distance running shoes evidence-based?

Equipamentos de CrossFit – Treinando com o Ed 10

Um dos tópicos mais discutidos entre crossfitters é equipamento. O que comprar, em que peças realmente investir, que marcas usar, esse vídeo é uma apresentação dos equipamentos do nosso editor chefe, depois de 7 anos vivendo no universo do CrossFit.

Assine nossa newsletter para receber o vídeo 8 exercícios para melhorar o snatch  


Quer treinar com a gente? Está perto da Zona Oeste de São Paulo, que tal fazer uma aula no nosso box?
Deixe seu e-mail e telefone para que possamos agendar uma aula com você na CrossFit Bars ‘n’ Rings

Eu Devo Usar Joelheiras?

Dentro de um box de CrossFit, não é muito difícil reconhecer um atleta de alta performance, no meio da multidão ele estará pulando de um exercício para o outro, mais rápido que todos, sem camisa, equipado de tênis especial para o esporte, munhequeira, bermuda até o joelho e claro joelheiras. Mas para que elas servem? Será que todos devem usá-las? Elas realmente evitam dores nos joelhos?

Assine nossa newsletter para receber o vídeo 8 exercícios para melhorar o snatch
 

O que são joelheiras e como funcionam.

As joelheiras (knew sleeves) comuns no CrossFit são feitas de neoprene, geralmente com forro e cobertura de outro tecido, elas inicialmente foram criadas para atender atletas de força, substituindo as faixas de joelho que eram pouco práticas e são banidas de algumas competições por oferecerem vantagens aos atletas.

Sua função seria manter a temperatura local e exercer uma força compressiva que melhoria a estabilização do joelho do atleta através de mecanismos de propriocepção (capacidade de perceber o próprio corpo) e aumentaria a circulação sanguínea e diminuiria o inchaço aumentando a recuperação e reduzindo o risco de lesões.

Para que elas não servem.

Nenhum desses mecanismos de funcionamento das joelheiras atua em lesões pré-existentes, assim um atleta que já tem uma lesão instalada deve se consultar com um ortopedista e caso seja necessário usar uma órtese apropriada para o seu tipo de lesão.

As joelheiras também não são capazes de corrigir grandes problemas mecânicos, não é porque um atleta com péssima mobilidade de tornozelo ou falta de ativação de quadril colocou uma joelheira que ele estará seguro agachando. Seus mecanismos de propriocepção parecem funcionar muito mais preservando a mecânica de movimentos de pessoas em fadiga do que corrigindo padrões de movimentos incorretos. (1)

Para que usá-las.

Outros estudos apontam que as joelheiras são muito mais eficientes em reduzir a fadiga se utilizadas por longos períodos de tempo. (2) Assim talvez seu benefício seja maior em atletas de alto nível, pois eles permanecem mais tempo treinando e consequentemente mais tempo usando equipamento compressivo.

Esse tipo de atleta também sofre com mais volume de treino e maior intensidade relativa nos treinos, devido aos seus níveis de força elevados.

Para quem pratica o esporte apenas de maneira recreativas as joelheiras parecem uma boa opção para se adaptar a um aumento do volume ou intensidade de treino em atletas com alguma maturidade na modalidade e segurança nos movimentos. Elas nunca devem ser usadas para remediar dores articulares, tentar compensar problemas de movimento ou falta de desenvolvimento ligamentar e muscular.

Curta nossa Fan Page no Facebook para continuar acompanhando nossas postagens:
facebook_like_button

 

1. Tiggelen DV., et al. “The effects of a neoprene knee sleeve on subjects with a poor versus good joint position sense subjected to an isokinetic fatigue protocol.” Clin J Sport Med. 2008 May;18(3):259-65. doi: 10.1097/JSM.0b013e31816d78c1. Accessed October 22nd 2014.

2. Duffield R., et al. “The effects of compression garments on intermittent exercise performance and recovery on consecutive days.” Int J Sports Physiol Perform. 2008 Dec;3(4):454-68.  Accessed October 22nd 2014.

Review Nike Trainer Metcon 2: Renovação nos Detalhes

O tempo passa e aqui estamos nós para avaliar a primeira atualização do Nike Metcon Trainer. A segunda edição sofreu algumas atualizações e alterações que tornaram o calçado ainda mais apropriado para os treinos funcionais em alta intensidade.

Assine nossa newsletter para receber o vídeo 8 exercícios para melhorar o snatch

Para início de conversa, talvez valha a pena ler a avaliação do Nike Metcon Trainer 1 , pois grande parte do que veremos aqui é composta por alterações e/ou melhorias daquela versão.

Vamos ao que interessa

O solado do Metcon 2 não apresenta alterações em relação ao irmão mais velho. Apenas foi possível perceber um leve estreitamento na parte medial do pé, o que acabou por melhorar levemente seu emprego para corrida. Por outro lado, este estreitamento pode trazer algum desconforto para aqueles que têm o arco do pé baixo ou tendendo ao “pé chato”. Nada que o processo natural de uso do tênis não resolva. Também no sentido de melhorar seu uso nos treinos de corrida, e solucionando um dos problemas apontados em nossa análise do Metcon 1, a flexibilidade do conjunto sola/entressola no antepé foi melhorada.

Ainda no quesito “base” do calçado, a entressola recebeu na região do calcanhar um arco de poliuretano rígido para reduzir o atrito dessa área quando em contato com paredes para a realização dos movimentos de “Handstand PushUp” (flexão de cotovelos em parada de mãos). Pode parecer pura cosmética, mas preservará o EVA da entressola ao longo da vida útil do tênis, além de favorecer o sobe e desce.

É no cabedal que as mudanças realmente se fazem notar. Todo o material dessa parte foi revisto em favor da leveza e da durabilidade do modelo. Na região dos dedos, percebe-se uma malha mais leve e respirável, enquanto a biqueira recebeu uma segunda camada feita de Poliuretano Termoplástico (TPU) nitidamente mais resistente à abrasão do que a usada no Metcon 1. Esse mesmo material também foi empregado nas laterais do calçado e na região do calcanhar, sempre em favor de aumentar a resistência ao desgaste natural dos treinos constantemente variados.

Com o reposicionamento do logo da Nike na lateral interna criou-se um painel mais resistente aos maus tratos das escaladas de corda, e ao mesmo tempo dotado de maiores orifícios para ventilação.

Baseada em comentários e análises fornecidos pelos atletas da modalidade patrocinados pela Nike (Mat Fraser, Josh Bridges e Sara Sigmundsdottir), a companhia também alterou a taloneira do Metcon. A pequena “alça” para auxiliar no calçamento foi substituída por um design chamado de “waterfall” (cachoeira) pela Nike. Esse desenho proporciona que o tênis acomode o tendão calcâneo em seus movimentos ao envolvê-lo com uma espuma de alta densidade. Os atletas que testaram o modelo haviam reclamado que o antigo desenho causava atrito com o tendão quando corriam ou saltavam com o Metcon 1.

Por fim, a parte financeira: o Metcon 2 veio com preço levemente incrementado. Enquanto a versão anterior era vendida a R$ 399,00, a atual foi lançada a R$ 499,00. No quesito marketing, também foram solucionados dois problemas da versão anterior: a escassez do modelo nas lojas físicas e virtuais e o lançamento do modelo feminino. No momento em que realizamos essa análise, já era possível encontrar modelos para ambos os gêneros no Brasil, seja nos shoppings centers dos grandes centros, seja na internet.

O Nike Metcon Trainer 2 é mais um passo em direção ao melhor atendimento das demandas impostas pelo CrossFit. Certamente há espaço para melhorias, mas será um bom equipamento para todas as atividades no Box.

Rodrigo Portela
CF-L2
CrossFit Cordylus Coach e Manager

Curta nossa Fan Page no Facebook para continuar acompanhando nossas postagens:
facebook_like_button

O Calçado Ideal Para CrossFit

Uma das dúvidas mais frequentes entre os crossfitters iniciantes é que tênis utilizar durante os treinos, a resposta para ela não é fácil já que o esporte é uma atividade multifaceteda e provavelmente um atleta precisará de mais de um par em sua mala de treino.

 

Assine nossa newsletter para receber o vídeo 8 exercícios para melhorar o snatch

 

Tênis multiatividade
image
Nike Metcon 1

Esse calçado é a primeira opção de um crossfitter nos treinos, ele é um equipamento capaz de lidar relativamente bem com todas as atividades exigidas no treino, oferecendo um misto de estabilidade com flexibilidade, esse será o companheiro de treino na maioria dos WODs.

Eles geralmente combinam um salto inspirado nas sapatilhas de levantamento de peso, ou seja, mais elevado e rígido, com uma ponta de pé flexível para corridas e saltos de corda, eles também costumam apresentar algum tipo de proteção nas laterais e topo para evitar o desgaste causado pela subida de corda e outras atividades.

Os principais modelos, que podem ser encontrados com relativa facilidade no Brasil são o Nike Metcon, que apresenta um drop, diferença entre a altura do calcanhar ponta do pé, mais elevado com solado mais flexível, e o Reebok Nano com solado mais plano e rígido.

Existem outras marcas nessa categoria como a Inov-8. Calçados não específicos para o esporte de sola plana e rígida como sapatilhas de wrestling, chuteiras de futsal e até os All-stars de cano baixo e os slippers da Vans ainda são populares entre os crossfitters da velha guarda e apesar de perderem um pouco no quesito conforto ainda são uma opção para quem não quer investir muito em um tênis.

Sapatilha de Levantamento
adipower
Adidas Adipower

Já discutimos bastante sobre a utilidade das sapatilhas de levantamento de peso nesse post. Elas são calçados de solado rígido e com um salto elevado que permite uma maior transferência de força para o solo, além de maior estabilidade e um ganho de posicionamento que pode compensar a falta de flexibilidade de um atleta.

Apesar de elas não serem absolutamente necessárias se o atleta possuir um tênis multiatividade, as sapatilhas talvez sejam o calçado que mais impacte na qualidade do treino, além disso existem dados que mostram que mesmo atletas experientes que usam sapatilhas erram menos levantamentos do que aqueles que preferem um tênis de crossfit.

Hoje os melhores calçados desse grupo são a Adidas Adipower  e a Nike Romaleos, os dois chegando muito próximos dos US$ 200,00. A Adidas Powerlifting e o Reebok Lifter, o mais fácil de ser encontrado no Brasil, tem um valor mais em conta e podem ser uma boa opção para iniciantes e para aqueles que não querem se aprofundar nos esportes de força, além de serem mais confortáveis para treinos mistos.

Tenis de corrida
Mizuno wave prophecy 4
Mizuno Wave Prophecy 4

Existirão aqueles momentos em que o atleta deseje um calçado mais confortável para um wod que envolva apenas corrida, que envolva outros movimentos que não necessitem de estabilidade nos pés, como barras, muscle-ups e double unders. Para esses momentos é interessante que o crossfitter possa contar com um tênis especial de corrida.

Esse calçado pode variar muito de pessoa para pessoa, os crossfitters mais tradicionais optaram por algo minimalista como o Nike Air ou algum tênis da Inov-8, há aqueles que vieram das corridas de longa distância e tem costume de usar tênis com mais suporte e amortecimento, como Asics e Mizunos, aqui a escolha tende a ser mais pessoal já que a maioria das pessoas tem alguma exposição a corrida, e pegar um calçado que obrigue uma mudança de forma na corrida a curto prazo pode ser catastrófico.

Existem muitos outros tipos de calçados que podem estar na mala de um crossfitter, mas esses três talvez sejam os mais importantes já que dão conta da maioria das atividades nos treinos e asseguram uma boa performance e segurança neles.
Curta nossa Fan Page no Facebook para continuar acompanhando nossas postagens:
facebook_like_button