Arquivo da categoria: Futebol

Como Definir Suas Metas no CrossFit

É comum as pessoas começarem um programa de atividade física – agora, a bola da vez é o CrossFit – por causa de uma necessidade pessoal. Pode ser que precise perder peso; ganhar massa muscular; melhorar a condição cardiorrespiratória; sair da frente da televisão; diminuir as happy hours; ou simplesmente ficar linda no vestido de noiva.
Assine nossa newsletter e saiba das novidades do Bars ‘N’ Rings

Ok! Seja qual for o motivo que leve uma pessoa à prática regular de esportes, está valendo. Acontece que nem sempre o motivo que as leva a começar, é suficientemente forte para fazê-las continuar. E aí começa aquele vai e vem sem fim, fazendo o box ser lembrado apenas quando aquele motivo inicial reaparece, e ele sempre reaparece.

Para evitar que isso aconteça e para tornar os treinos mais prazerosos e produtivos é preciso estabelecer metas e renová-las a cada etapa atingida. Compartilhem seus objetivos com o coach e considerem o método S.M.A.R.T . de definição de metas.

Trata-se do acrônimo em inglês para:

S – Específica
M – Mensurável
A – Alcançável
R – Relevante
T – Tempo determinado.

Para exemplificar, vamos por cada um dos cinco itens do SMART.

Específica: Toda meta tem que ser específica, ou seja, não basta dizer que quer perder peso, é preciso dizer quanto peso quer perder. No caso de melhoria de performance, costumo ouvir: “Quero melhorar meu clean and jerk…”, e aí cabe a pergunta sobre quais aspectos devem ser melhorados, se é a técnica, se é o RM, etc., no caso da técnica é preciso definir quais etapas devem ser melhoradas, portanto, precisam de mais treino.

Mensurável: Não existe meta que não possa ser medida, por isso, defina os indicadores que usará para medir sua evolução. No caso de perda de peso é muito fácil… balança, assentamento das roupas e – o melhor de todos – o feedback elogioso de outras pessoas. No aumento RM ou PR também não tem segredo, basta registrar os aumentos de carga. Porém, quando a meta é técnica, os indicadores são mais complexos e é necessário o auxílio do coach para observação e, talvez, algum APP de analise de movimento.

Alcançável: Uma meta inalcançável já nasce morta. Uma meta muito fácil não mobiliza o suficiente. Então, neste item é fundamental encontrar a medida certa entre um objetivo que seja possível, porém, seja desafiador. Para alguém que pesa 100 kgs talvez seja bem desafiador (e possível) perder 20 em quatro meses, mas seria totalmente insano e irresponsável, desejar perder a mesma quantia em 15 dias. Exageros à parte, o importante é que a meta não seja uma missão impossível.

Relevante: Uma meta só receberá sua atenção, dedicação e trabalho duro se ela fizer sentido para você. É muito bacana ser desafiado pelos colegas ou pelo coach para aumentar o RM, por exemplo, contudo o único desafio que funciona é aquele que você se faz. Se aumentar o RM não for relevante para você não aceite isso como meta. É muito provável que você não a alcance e, o que é pior, poderá se frustrar por isso. Lembre-se de inúmeros casos de pessoas que tiveram mil recomendações para parar de fumar, perder peso ou começar uma atividade física e só o fizeram quando tomaram um susto e aquilo se tornou, de fato, importante para ela.

Tempo determinado: Este item é diretamente relacionado com o primeiro (específica). Ao definir sua meta pessoal, é imprescindível que você defina o prazo em que ela deverá ser alcançada. Isso é muito importante para que suas ações sejam mais bem direcionadas no sentido de atingir o objetivo. Observe a diferença entre as seguintes afirmações: a) Um dia eu quero me classificar para os Regionals… b) Tenho como objetivo disputar os Regionals em 2017… Muito diferente, não? No primeiro caso o crossfitter poderá ficar indefinidamente perseguindo a dita “meta”, no segundo o colega sabe que tem dois anos para treinar e definir sua estratégia para realizar o objetivo.

Um continuará indo ao box e vendo o que acontece no dia, o outro entrará no box todos os dias sabendo o que tem que fazer para atingir seu objetivo.

Curta nossa Fan Page no Facebook para continuar acompanhando nossas postagens:
facebook_like_button

Anúncios

Futebol e Preparação Física Geral

A Copa do mundo está acabando, nela viu-se a queda de grandes times e o sucesso de alguns azarões. Com toda t oda a comoção ao redor do esporte não poderíamos deixar de fazer a pergunta, será que os jogadores de futebol são realmente bem condicionados? Eles poderiam melhorar sua performance aumentando seu grau de atleticismo?
Assine nossa newsletter e saiba das novidades do Bars ‘N’ Rings
Preparação Física Geral x Preparação Esportiva Especifica

Para responder a pergunta a cima é necessário entender o conceito de preparação física geral (PFG) e preparação esportiva especifica (PEE). O primeiro conceito diz respeito a melhora das dez capacidades físicas do ser humano: força, potência, agilidade, precisão, flexibilidade… já a preparação esportiva especifica, como o próprio nome diz é o treino realizado com foco para se melhorar o desempenho em um determinado esporte, com desenvolvimento tático e gestos motores próprios daquela prática.

As modalidades esportivas se espalham em uma linha entre a PFG e a PEE de acordo com sua especificidade e necessidade de desenvolvimento de múltiplas capacidades físicas. O CrossFit, por exemplo, é uma modalidade que é quase toda baseada em PFG, seguida pelo rugby e o MMA, esportes onde atletas bem condicionados de outras modalidades conseguem se dar bem gastando pouco tempo para aprender suas especificidade, do outro lado da escala temos modalidades como o vôlei e o tênis de mesa, esportes tão específicos que requerem dedicação exclusiva. As habilidades desenvolvidas neles pouco se revertem para outras atividades.

O futebol com certeza está mais próximo da PEE, dominar uma bola com os pés e se posicionar no campo da forma a cobrir o máximo de espaço possível é algo bem peculiar, mas tomemos como exemplo o baseball. Um esporte cuja a principal requisito, rebater uma bola com um bastão, também é bem único, porém na década de 90 os técnicos perceberam que atletas mais fortes são capazes de rebater mais longe e correr mais rápido depois da rebatida, logo a enfase do treinamento (e dopping) dos jogadores se tornou a preparação física que  aumentou absurdamente as pontuações e recordes e mais recordes foram quebrados.

Gabe Kapler campeão da MLB pelo Boston Red Sox mostrando que um pouco de músculo não faz mal a ninguém.
Gabe Kapler campeão da MLB pelo Boston Red Sox mostrando que um pouco de músculo não faz mal a ninguém.

A PPG é tão importante que atletas bem condicionados chegam a desempenhar algumas tarefas melhor do que aqueles que treinam especificamente para elas. No Pre-Draft Camp da NBA de 2007 a média do salto vertical dos jogadores foi de 73,9 cm . No Combine da NFL de 2010 a média dos Linemen de defesa 86,7 cm, sim, jogadores de futebol americano, que pesam no mínimo 130kgs pularam em média 13 cm a mais do que praticantes de um esporte cuja a principal perícia é saltar. Isso é explicado pelo foco em força e potência que esses jogadores recebem em seu treinamento de base, tornando eles muito eficientes em correr, empurrar e também saltar.

Quando você tem uma boa preparação física geral você consegue dar um balão nos adversários…sem soltar a bola.

Outro motivo importante para os jogadores de futebol americano treinarem insistentemente força a resistência a lesão.  Não é possível afirmar com nenhuma certeza, mas talvez um trabalho de reforço muscular evitaria a fratura que Neymar sofreu no jogo contra a Colômbia. Além disso uma maior força aliada a flexibilidade, coordenação e equilíbrio permitiria a ele ter mais estabilidade quando sofre o contato de outros jogadores continuando jogas que resultariam em gols.

De forma geral, mais preparo físico resultaria em um jogo mais rápido, mais emocionante e com mais seguro. Para isso primeiro é necessário desmistificar o fato de que jogadores potentes não são ágeis, graciosos e flexíveis, quem já assistiu uma partida de futebol americano ou uma competição de levantamento de peso sabe o quão rápido são os atletas dessas modalidades e da precisão que eles tem em seus gestos. Além disso é necessário tratar o futebol como qualquer outro esporte onde os jogadores antes de passarem para uma fase de treino especifico para competição necessitam construir uma sólida base atlética abordando todas as capacidades físicas.

Esperamos a próxima copa para ver se a ideia de jogadores mais condicionados vai pegar enquanto isso se manter acompanhando nossas postagens é só curtir nossa página no Facebook.
facebook_like_button