Rabdomiólise e CrossFit: A Verdade e O Exagero

Esta semana a tradução de um texto apontando a ligação entre rabdomiólise e o CrossFit viralizou na internet brasileira. Apesar dos exageros o texto alerta sobre uma doença grave que tem que ser levada a sério por técnicos e atletas. Aqui discutiremos o que é verdade e o que é mentira sobre a rabdomiólise no Crossfit e quais são as suas principais formas de prevenção.
Assine nossa newsletter e saiba das novidades do Bars ‘N’ Rings
Rabdo… o que?

Rabdomiólise é uma condição na qual o tecido muscular esquelético é danificado rapidamente. Produtos de degradação das células musculares danificadas são liberados na corrente sanguínea; alguns destes, tal como a proteína mioglobina, são prejudiciais para os rins e pode levar à insuficiência renal. A lesão muscular pode ser causada por fatores físicos (por exemplo, lesão por esmagamento, exercício extenuante), medicamentos, abuso de drogas e infecções. Algumas pessoas têm uma condição muscular hereditária que aumenta o risco de rabdomiólise. O diagnóstico geralmente é feito com exames de sangue e urina. A base do tratamento é quantidades generosas de líquidos intravenosos, mas pode incluir diálise ou hemofiltração em casos mais graves.

Os sintomas de rabdomiólise dependem da sua gravidade e se é desenvolvida insuficiência renal. Formas mais leves podem não causar quaisquer sintomas musculares, e o diagnóstico é baseado em testes sanguíneos. Rabdomiólise mais grave é caracterizada por dor muscular, sensibilidade, fraqueza e inchaço dos músculos afetados.

Lançamento dos componentes do tecido muscular para a corrente sanguínea provoca distúrbios eletrolíticos, que pode levar a náuseas, vômitos, confusão, coma ou ritmo cardíaco anormal. A urina pode ficar escura, muitas vezes descrito como “cor de chá”, devido à presença de mioglobina. Os danos para os rins podem dar origem a uma diminuição da produção de urina ou ausência dela, geralmente de 12 a 24 horas após o dano muscular inicial.  Fonte Wikipedia

Amostra de urina de vitima de rabdomiólise.
Amostra de urina de vitima de rabdomiólise.
Casos no CrossFit

Antes de tudo é importante elucidar que de maneira alguma a rabdomiólise é um segredinho do CrossFit como o texto que anda circulando propõe. Qualquer atividade física que exija alta intensidade por um período longo de tempo em condições não ideais de temperatura e umidade expõe os atletas a essa condição, isso incluí ultra-maratonas e corridas de aventura, atividades militares e treinamentos para esportes competitivos. Além disso, a condição que apesar de ter um fator genético como facilitador é muito mais comum em atletas experientes que tem uma capacidade de trabalho invejável e se acostumaram a aguentar uma quantidade de castigo mental muito superior ao de um ser humano normal.

Outro ponto a ser levantado é a que a maioria dos casos relatados é de um período entre 2005 e 2007, antes da fase dos Games e da saudável mudança de foco do CrossFit de um esporte de endurance para um esporte de força resistida. São poucos atletas brasileiros que viveram esse período, mas quem participou ou assistiu alguma coisa dessa época sabe que a metodologia do CrossFit ainda estava engatinhando e havia um foco muito grande em volume não sendo raro os atletas de elite fazerem um ou dois wods de mais de meia hora por dia, o que aumenta em muito o risco de haver sérias rupturas no tecido muscular.

O Tio Rabdo

Com o surgimento de alguns casos na década passada a CrossFit HQ criou uma campanha para alertar atletas e treinadores sobre o problema e divulgar uma série de práticas para se reduzir os riscos no esporte. O símbolo da campanha era o Uncle Rhabdo, um palhaço com os rins caídos para fora do corpo, apesar das suas semelhanças com o Pukie, o mascote do CrossFit ele nunca foi utilizado com símbolo de orgulho e sim como uma forma de alertar os atletas e coaches sobres os perigos do um treino mau planejado.

uncle-rhabdo

Entre as práticas que devem ser adotadas para se evitar a rabdomiólise estão:

  • Hidratação constante;
  • Introdução gradual a intensidade, principalmente em atletas retomando a atividade física;
  • Utilização de cargas moderadas para diminuir a velocidade de ciclo de repetições em iniciantes;
  • Redução do volume geral de repetições;
  • Cuidado extra em movimentos que exigem muitas contrações excêntricas como jumping pull-ups e GHD Sit-ups.

A rabdomiólise é uma condição perigosa e todos os praticantes e treinadores devem ser alertados sobre ela para que possam evitar complicações, mas afirmar que ela é uma epidemia dentro do CrossFit ou que as condições encontradas dentro de um box oferecem riscos a saúde da população são um tanto exageradas.

Para continuar acompanhando as postagens curta a nossa página no Facebook.
facebook_like_button

Anúncios

14 comentários em “Rabdomiólise e CrossFit: A Verdade e O Exagero”

  1. “capacidade de trabalho invejável e se acostumaram a aguentar uma quantidade de castigo mental muito superior ao de um ser humano normal.”

    HAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHHHHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAH

  2. Gilberto
    O problema não é se a Rabdomiolise, é coisa antiga ou nova, a grande questão, é o modismo que se fez do Crossfit como “modalidade” (não sei de que), entre pessoas que desconhecem problemas comuns como, uma anemia, que dirá de hemoglobina ou da mioglobina em quantidade acima dos níveis normais na corrente sanguínea, vejo que isso cabe aos profissionais estudarem mais sobre os efeitos e prescreverem treino dentro de uma realidade para o bem estar do indivíduo. Eu desconheço algum medico que prescreve ao um paciente doses mais forte de uma determinada substancia sabendo dos riscos, apenas porque o paciente pediu. abç a todos

  3. Li o texto citado. Parabéns pelo esclarecimento fundamentado, conciso e imparcial; sem a paixão do “contra” ou “a favor”. Cada indivíduo deve achar aquela atividade que lhe confere mais prazer (ou menos resistência para aderir). O problema atual, tratando-se de prática de exercícios físicos, é o pobre embasamento de alguns e como se orienta o(a) praticante. Independente da modalidade. Bons treinos á todos!

  4. A rabdomiólise é um perigo real. Eu como militar, já estou acostumado com as campanhas de prevenção dentro das Forças Armadas…tivemos algumas baixas por esta enfermidade e assim como o artigo muito bem explanou o assunto, Rabdomiólise é uma condição que deve ser levada em consideração só não no Crossfit como em todas as atividades que exijam uma grande demanda energética do corpo.
    Muito boa a iniciativa!!

  5. Isso é um crime com a saúde articular de todo o praticamente.
    Isso é idiotice Fit.
    As indústrias Farmacéuticas e os médiCÚS esportivos terão seus consultórios cheios de bestas se consultando e farmacias lotadas con vendas de AntiDores para dor no ombro quadril joelhos punhos e dedos dolorosos. ..sem falar no risco de lesão aumentando para os tiozinhos e tiazingas con mais de 30! Boa cross fit por lotar minha agenda!!!!

  6. Malho há muitos anos, malhava musculação, gostava, mas enjoei, acho um pouco monótono, tô fazendo crossfit, e não tem nada parecido com a musculação, super dinâmico e cada dia uma novidade, não tem repetição, além de ser super animado todos juntos e misturados, se ajudando mutuamente. Gosto muito.

  7. Vamos ser honestos! O crossfit não tem nada de prazeroso, a não ser o momento em que o maior dos loucos ganha a competição – porque, falando sério, os americanos sabem empreender, ganhar dinheiro e, depois que essa porcaria enjoar, inventam outra! O lance é puramente de vaidade pessoal, como todas as modalidades que exploram o corpo. Agora virão as desculpas daqueles que não sabem fazer outra coisa na vida.

    1. A questão de prazeroso ou não é algo pessoal. Eu nunca suportei fazer a musculação tradicional por mais de 3 meses. Já o crossfit tem elementos que no meu ver se o torna um esporte muito mais prazeroso que a musculação: treinos em equipe, curtos e não repetitivos. Pra mim tem dado certo e já cheguei no sexto mês. O que não quer dizer que pra você tem que dar certo também.

    2. sou treinador de musculação queria entender o crossfit tomei um curso relacionado conseguir compreender a metodologia que por sinal é muito inteligente e eficaz até pra quem faz musculação dá pra conciliar os dois treinos de forma não exagerada e riscos está contido em todos os esportes vamos treinar com moderação.

    3. Na sua cabeça que não tem nada de prazeroso , a diferença do crossfit pra outras modalidades é que é valorizado e muito a sua melhora de desempenho , não importando se vc ganhou ou não a competição, claro que ganhar uma competição é prazeroso em qualquer modalidade, mais diferente de outras tantas modalidades o crossfit seus “adversários ” te incentivam a terminar ,completar, realizar algum exercício em que está tendo dificuldade , e nisso que vem o prazer prq é uma disputa pessoal primeiro aí depois sim se torna contra outra pessoal

Faça um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s